Sindicato do Bancários Zona da Mata e Sul de Minas - SINTRAF JF
Facebook e Instagram Facebook dos Bancários Instagram dos Bancários
Imprensa e Notícias

Sintraf protesta contra alteração no horário de funcionamento de agência

Gerente pressiona bancários a trabalharem fora da jornada, além de discriminar dirigente do Sintraf. Veja vídeo

O Sintraf organizou na manhã desta quarta-feira, dia 13, um ato em repúdio as irregularidades e à prática de assédio cometidas na agência 2180 do Bradesco, na Avenida Rio Branco. A principal irregularidade está relacionada ao atendimento ao público fora do horário de 11h às 16, que é o regulamentado pelo Banco Central para cidades do porte de Juiz de Fora.

As informações sobre esta rotina do banco foram repassadas ao sindicato pela própria gerente da agência, que estaria pressionando os bancários a trabalharem fora do horário. Ela também declarou agir com consentimento da superintendência do Bradesco.

Conforme apurado, o atendimento privilegia somente a alguns clientes do banco. “Não podemos deixar que esta gerente discrimine o atendimento para o cliente A, B, ou C” ressaltou o presidente do Sintraf Robson Marques, para os usuários da agência que aguardavam na fila o seu atendimento.

“Com este tipo de atitude, o banco reconhece que o horário de atendimento praticado atualmente não é suficiente para atender todas as demanda dos clientes. E isto já foi constatado e reivindicado pela categoria nas Campanhas Nacionais. Pedimos a alteração do horário de atendimento para as 9h às 17h, além da abertura de novas vagas para que seja oferecido um serviço de qualidade sem alteração na carga-horária do bancário”. De acordo com o presidente, muitos bancários estariam extrapolando a pedido da gerência a jornada de trabalho de seis horas estabelecida em Convenção Coletiva.

Os dirigentes do Sintraf também denunciaram o assédio moral que uma das dirigentes não liberadas do Sindicato e funcionária da agência tem sofrido. “Mal assinamos com a Fenaban um acordo de combate ao assédio e recebemos a denúncia de que nossa colega está sofrendo discriminações desta gerente”. Segundo Robson, a gerente estaria instruindo os demais funcionários a não conversarem com a dirigente do Sintraf. “Nas paredes deste prédio impera o assédio moral” declara o presidente.

O presidente ainda questionou a postura de alguns gerentes do Bradesco com os dirigentes do sindicato. “Eles discriminam e assediam nossos colegas, principalmente os dirigentes não liberados e bancários sindicalizados. Porém, quando necessitam de algum serviço do sindicato não hesitam em nos procurar, e são tratados por nós da mesma forma que tratamos todos os outros bancários.”

O Sintraf irá encaminhar formalmente para o banco a denúncia de assédio moral.  Conforme o estabelecido pelo Protocolo para Prevenção de Conflitos no Ambiente de Trabalho, o banco terá 60 dias corridos para apurar o caso e prestar esclarecimento ao sindicato.

Manifestação repercute na mídia

Assista a matéria sobre o ato dos bancários veiculada no Jornal da Alterosa edição regional, no dia 13 de abril.