Sindicato do Bancários Zona da Mata e Sul de Minas - SINTRAF JF
Facebook e Instagram Facebook dos Bancários Instagram dos Bancários
Imprensa e Notícias

Semana Nacional de Luta dos funcionários do Itaú

Banco lucra bilhões, mas adoece, demite e fecha agências

O Itaú vem tendo como prática o aumento de demissões e a diminuição de postos de trabalho com o fechamento de diversas agências em todo o país.

Na defesa do emprego e contra todas essas práticas injustas, funcionárias e funcionários do banco realizam uma Semana Nacional de Luta. Com atos a categoria exige que o Itaú respeite os trabalhadores e tenha responsabilidade social.

O SINTRAF JF deu início à mobilização com ato e paralisação de uma agência do banco no centro de Juiz de Fora. Além disso, materiais denunciavam as práticas abusivas do Itaú. Os bancários sinalizaram a categoria e a população para a incoerência do banco que, mesmo lucrando bilhões e apresentando crescimento durante a crise, demite e fecha agências.

O Itaú lucrou R$ 25,733 bilhões em 2018. Mas de acordo com dados do DIEESE, no último trimestre do ano, fechou 597 postos de trabalho. Além disso, em 2019, já foi registrado o fechamento de 86 agências físicas do banco em todo o país.

O Sindicato realizou atos em diversas agências de sua base de atuação durante a semana.

  • Reunião entre movimento sindical e banco

Como desdobramento do Dia Estadual de Luta no Itaú, realizado no dia 26 de janeiro por sindicatos cutistas mineiros, a FETRAFI-MMG e os sindicatos se reuniram com a direção do banco, no dia 2 de maio, em Belo Horizonte.

Representando os bancários, estiveram presentes diretores de Sindicatos e da Fetrafi-MG/CUT. O SINTRAF JF foi representado pela Diretora de Bancos Privados e funcionária do Itaú, Maria Aparecida Siqueira e Souza. Já o banco foi representado pelo superintendente de Relações Sindicais, Marco Aurélio, e pelo gerente de Relações Sindicais, Romualdo Garbos. 

Na reunião foram pautados diversos assuntos que têm afetado o cotidiano dos funcionários como: transferências, cobrança excessiva e abusiva de metas, entre outros. O fechamento de agências e aumento de demissões também foram discutidos no encontro.

Fonte: SINTRAF JF com informações do SEEB-BH