Sindicato do Bancários Zona da Mata e Sul de Minas - SINTRAF JF
Facebook e Instagram Facebook dos Bancários Instagram dos Bancários
Imprensa e Notícias

Empregados devem ter calma em manifestar interesse para movimentar

SINTRAF JF reforça orientações da Contraf-CUT

Liminar concedida a pedido da Contraf-CUT, estabelece o prazo de 15 dias para manifestação, a partir do fim da negociação; banco estabelece prazo para 2 de março apesar de não ter respondido questões que principiariam o processo negocial

Depois da manutenção da liminar que estabeleceu a suspensão da reestruturação pretendida pela Caixa, concedida a pedido da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), na última sexta-feira (14), o banco reabriu nesta segunda-feira (17), o processo de movimentação com o prazo final para o dia 2 de março.

A Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) orienta os empregados que sofrerem pressão ou assédio de qualquer tipo durante o processo a procurarem seus sindicatos e denunciarem.

Sobre isso, a vice-presidenta do SINTRAF JF e empregada da CEF, Lívia Terra reforçou a orientação da Contraf-CUT: "Sigam as orientações da CEE em relação à reestruturação. Não se apavorem pra tomar qualquer decisão e não cedam a nenhuma pressão. Estamos tomando todas as medidas possíveis para tornar esse processo transparente e justo pra todos, mas todos os envolvidos precisam colaborar nessa causa. Utilizem o canal de denúncia da página do sindicato e denunciem abusos, assédios e descumprimentos da liminar jurídica conseguida pela Contraf. O sigilo da identidade do denunciante é garantido. Saibam que os representantes dos empregados não fizeram nenhuma exigência absurda à Caixa. Pedimos somente aumento nos prazos, esclarecimentos de dúvidas, transparência no processo e garantias mínimas para os atingidos. A Caixa simplesmente se retirou da mesa de negociação quando recebeu o documento com o pleito da CEE, se recusando a negociar. Isso demonstra um claro desrespeito dessa direção a cada empregado e empregada que constroem a Caixa e fazem dela a grande empresa que ela é. 
Respeito, transparência e garantia é o mínimo que merecemos." conclui Lívia.

A Contraf-CUT informa ainda que permanece aberta à negociação para defender os direitos de todos os empregados da Caixa.

Fonte: SINTRAF JF com informações da Contraf-CUT