Sindicato do Bancários Zona da Mata e Sul de Minas - SINTRAF JF
Facebook e Instagram Facebook dos Bancários Instagram dos Bancários
Imprensa e Notícias

A Saúde da Mulher

Câncer de Colo Uterino

No brasil, o câncer de colo uterino ainda é responsável por elevado índice de mortalidade. Trata-se de um dos poucos processos malignos passíveis de cura, desde que diagnósticado e tratado precocemente.

Não se deve esperar o aparecimento de anormalidades na área genital para procurar o ginecologista. No entanto, corrimento vaginal sanguinolento ou sangramento pós-coito, após exercício físico ou durante a defecação, constituem sinais de alerta que exigem visita imediata ao especialista.

A prevenção, única forma de evitar o desenvolvimento desta doença, torna-se eficaz através de cuidados básicos de higiene aliados à realização de exames preventivos.


Fatores de Risco Relacionados ao câncer de Colo Uterino

As mulheres que pertencem ao grupo de risco para esta doença são as que apresentam um ou mais dos seguintes fatores :

1 – idade entre 30 e 50 anos;
2 – maus hábitos de higiene;
3 – promiscuidade sexual;
4 - início precoce da atividade sexual ;
5 – muitos partos normais com os pequenos intervalos entre eles ( menos de 2 anos );
6 – qualquer tipo de lesão do colo uterino;
7 – infeções vaginais repetidas;
8 – uso indiscriminado de anticoncepcionais.

Exames Preventivos do câncer de colo uterino

A detecção precoce do câncer de colo uterino é possível através dos exames ginecológicos preventivos que devem ser realizados anualmente. Estes exames, que devem ser feitos fora do período de sangramento menstrual, constam de :

1 – exame clínico;
2 – esfregaço de Papanicolau.

Exame Clínico

A entrevista na qual o profissional procura obter informações relevantes a respeito do ano anterior, e o exame direto dos órgãos genitais, são meios de detecção de eventuais anomalias.
Além disso, esta é a oportunidade na qual o profissional fornece esclarecimentos e aconselhamento apropriados.

Esfregaço de Papanicolau

A coleta de material, feita durante o exame clínico, permite estudo microscópico ( exame de lâmina ) que detecta precocemente a existência de alterações do sistema genital.

O câncer de mama é o de maior incidência no sexo feminino. Por isso é preciso saber como e quando fazer os exames de mamas para poder detectar o tumor em seus estágios iniciais e promover a oportunidade da cura.

O que é preciso saber

O câncer de mama aparece mais freqüentemente em mulheres com idade acima de 35 anos. Dentre os casos diagnosticados, dois terços são pacientes com mais de 50 anos de idade. No entanto tem surgido, em número cada vez maior, em mulheres mais jovens. O diagnóstico precoce traz um prognóstico melhor. Quando o câncer de mama é detectado logo em seu início existem maiores chances de tratamento bem sucedido. Na realidade , muitas mulheres tratadas de câncer em fase inicial estarão livres da doença pelo resto de suas vidas.

Fatores de Risco Relacionados ao Câncer de mama

São consideradas como pertencentes ao Grupo de Risco as mulheres com um ou mais dos seguintes fatores:

1 - história pessoal ou familiar de câncer de mama;
2 - Primeira gestação tardia ( após 28 anos )
3 - não amamentação;
4 - Primeira menstruação antes dos 11 anos e menopausa tardia ( após 50 anos ) ;
5 - Dietas ricas em gordura ou obesidade.

Exames para detecção Precoce de câncer de mama

O Instituto Nacional do Câncer sugere três procedimentos :

1 - auto exame
2 - exame clínico
3 - mamografia

Auto exame de mamas

O auto exame de mamas deve ser realizado mensalmente por todas as mulheres a partir dos 212 anos de idade, sete dias depois do início da menstruação, quando as mamas se apresentam mais flácidas e indolores. Após a menopausa, deve-se definir um, dia do mês e realizar o exame sempre com intervalo de 30 dias.

Há mamas de todas as formas e tamanhos. A mama pode mudar de aspecto ao longo da vida. O ciclo menstrual , o advento da menopausa, a maternidade, a amamentação, a idade, alterações do peso e o uso de anticoncepcionais podem alterar A forma , o tamanho e a sensibilidade das mamas. É importante descobrir o que é normal. Isto será aprendido com a prática do auto-exame.

As mulheres que têm cuidado com sua saúde realizam o exame de suas mamas regularmente. São também as que praticam esportes , vão ao ginecologista e ao clínico periodicamente, alimenta-se adequadamente, evitam o cigarro, o álcool e outras drogas.

Ao descobrir alguma alteração como nódulo, secreção pelo mamilo, retração ou abaulamento da pele, deve-se procurar um médico imediatamente, o que deve ser feito também em caso de dúvida.

Exame clínico

O exame clínico das mamas deve ser realizado anualmente por ocasião do exame ginecológico preventivo ou a qualquer momento, caso se perceba alguma alteração.

Durante o exame, o médico palpa a mama e a região axilar procurando nódulos. Faz também a observação direta de alterações tais como retração, enrugamento e abaulamento da pele, bem como a compressão do mamilo à procura de alguma secreção.

Mamografia

É o mais importante método diagnóstico nos estágios iniciais , pois pode detectar um tumor maligno muito tempo antes de se tornar palpável.

A mamografia, exame radiológico cujo risco por irradiação é desprezível, deve ser realizada preventivamente aos 35 anos de idade, ser repetida aos 40 anos e a cada dois anos até os 50 anos. Daí em diante deve ser feita anualmente. Deve também

Ser realizada a qualquer tempo se, durante o exame clínico, for encontrada alguma alteração sugestiva de câncer de mama.

Importante :

A detecção precoce do câncer depende de:

1 – auto exame
2 – exame clínico anual;
3 – mamografias regulares, nos intervalos prescritos .

Quando usadas em conjunto estas medidas oferecem a melhor oportunidade de detectar o câncer de mama precocemente, proporcionando a cura.

Importante:

O exame ginecológico preventivo anual é imprescindível para possibilitar a adoção de medidas que evitem o desenvolvimento do câncer de colo de útero.